Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



They'll always have Paris

25.07.14

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Chora(-se)

25.07.14

 

 

 

 

 

 

 

Chora-se por alguém, chora-se, embora eu chore a olhar para mim a chorar, chora-se para que nos digam: não chores, ou para que nos oiçam, mas este choro não ouvido, este choro não visto, anónimo, só um corpo a chorar sem remédio, o choro omitido das desatenções, o choro esquecido no choro, nos seus meandros, mudez e surdez, este choro, sem lugar de choro, é a palavra última, apaga-se nela, este choro é a palavra que se apaga.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Como eles sabem de filosofia ...

25.07.14

 

 

 

No café trazem-me um copo com água como se ele resolvesse todos os meus problemas. É ridículo - penso - não há saída. No entanto, depois de beber a água fico sem sede. E a sensação exclusiva do organismo acalma-me por momentos. Como eles sabem de filosofia - penso - e regresso, logo a seguir, à angústia.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Bom dia!

25.07.14

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Always gold

24.07.14

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tricky question

24.07.14

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pearls are always a good idea

24.07.14

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Como é linda a puta da vida...sem poder ou prepotência.

24.07.14

 

 

 

 

O poder, que é o contrário de prepotência, é saber convencer os outro a querer o mesmo que nós queremos. É muito difícil. Vai contra todas a regras do ego. Mas consegue-se. É por isso que os bilionários são mais esquecidos do que os ditadores ou os grandes pensadores.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Para onde pensar em fugir, se só a cela é tudo?

24.07.14

 

 

O mistério da vida dói-nos e apavora-nos de muitos modos. Umas vezes vem sobre nós como um fantasma sem forma, e a alma treme com o pior dos medos — a da encarnação disforme do não-ser. Outras vezes está atrás de nós, visível só quando nos não voltamos para ver, e é a verdade toda no seu horror profundíssimo de a desconhecermos.

Mas este horror que hoje me anula é menos nobre e mais roedor. É uma vontade de não querer ter pensamento, um desejo de nunca ter sido nada, um desespero consciente de todas as células do corpo e da alma. É o sentimento súbito de se estar enclausurado na cela infinita. Para onde pensar em fugir, se só a cela é tudo?

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Bom dia!

24.07.14

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:




Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D


Visitas


Pesquisar

Pesquisar no Blog