Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



e não é compreensível que assim aconteça.

por Maria Rita, em 07.10.14

 

com a morte, o amor devia acabar. acto contínuo, o nosso coração devia esvaziar-se de qualquer sentimento que até ali nutrira pela pessoa que deixou de existir. pensamos, existe ainda, está dentro de nós, ilusão que criamos para que se torne todavia mais humilhante a perda e para que nos abata de uma vez por todas com piedade. e não é compreensível que assim aconteça. com a morte, tudo o que respeita a quem morreu devia ser erradicado, para que aos vivos o fardo não se tornasse desumano. esse é o limite, a desumanidade de se perder quem não se pode perder. foi como se me dissessem, senhor silva, vamos levar-lhe os braços e as pernas, vamos levar-lhe os olhos e perderá a voz, talvez lhe deixemos os pulmões, mas teremos de levar o coração, e lamentamos muito, mas não lhe será permitida qualquer felicidade de agora em diante.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:59

Bom dia!

por Maria Rita, em 07.10.14

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 06:46

Until the morning

por Maria Rita, em 06.10.14

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:14

Tricky question

por Maria Rita, em 06.10.14

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:13

Surgi pacificamente de uma crise de humanidade.

por Maria Rita, em 06.10.14

 

Não constituo um problema de existência. O ser "físico" ou "animal", que garante ao corpo a movimentação própria do homem; é-me alheio; mas não em troca da imaterialidade, da existência puramente anímica ou espiritual. Em troca, sim, de um crescimento vegetal, orgânico, que garante apenas a  minha sobrevivência. O que me mim cresce e se reproduz, então, não sou eu, é o que escrevo. E só essa vida "textual" e escrita me protege do nada, do pó, da mortal opacidade do gesto efémero.Assim procurei exprimir os meus sentimentos "literários" ou "poéticos". Não para que me acreditassem. Nesse dia, à parte uma hora em que ouvi música e reli poesia, nada me sugeria qualquer impulso de comunicação (ou expressão). Por outro lado, talvez eu acabasse de receber uma carga excessiva de emoções estéticas quando, durante cerca de meia hora. sofri uma sucessão de imagens que subitamente revelaram diversos instantes da minha evolução passada ou futura (até muito depois de mim próprio). Mas bastava-me essa base mínima de verosímil, ou antes, a possibilidade de verdadeiro, para que, ao levantar-me, como que tocasse a minha aparência verbal e sonora, elevando-me à altura extrema da palavra.Foi assim que, por hábito e também devido a uma feroz instabilidade da alma, levantei os olhos para o ponto em que o máximo brilho do sol, às dez da manhã, feria o rebordo das nuvens no quadro exacto da janela. Ali me fixei; como se momentaneamente animado pelo instinto da criança, quisesse agir sobre o longínquo efeito luminoso. Em breve, porém, regressei a mim próprio. Surgi pacificamente de uma crise de humanidade. Não sem que perceptíveis diferenças me levassem a transformar a primitiva imagem do poema; mas não tão evidentes nem definitivas que influenciassem o próprio comportamento de que me aproximo.Certas tardes, demasiado desperto para que possa exercer com rigor o raciocínio, recaio em acessos de melancolia. De outras vezes, impetuosos fluxos de memoria trazem até mim rostos, atitudes, frases, a que o tempo passado roubou a vida e o ser transitório. Respiro com o vento do tempo um sopro fétido de humanidade. Mas sob o chão enlameado os velhos poetas adquirem uma consistência que invejo e anseio. As suas palavras gastas pelo correr dos anos dão ao poema a aparência da antiquíssima pedra tumular; e embora os seus pés se confundam com as raízes, ainda ouço os seus passos a escoarem-se nos meus lábios.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:06

Bom dia!

por Maria Rita, em 06.10.14

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:01

Une bom dia pour tous!

por Maria Rita, em 05.10.14

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:07

You'll be okay

por Maria Rita, em 03.10.14

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:14

Who needs diamonds when pearls are so much better...

por Maria Rita, em 03.10.14

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 08:19

Se soubesse como sê-lo…

por Maria Rita, em 03.10.14

 

 

Ah, a frescura das manhãs em que se chega, 


E a palidez das manhãs em que se parte, 

Quando as nossas entranhas se arrepanham 

E uma vaga sensação parecida com um medo 

- O medo ancestral de se afastar e partir, 

O misterioso receio ancestral à Chegada e ao Novo - 

Encolhe-nos a pele e agonia-nos, 

E todo o nosso corpo angustiado sente, 

Como se fosse a nossa alma, 

Uma inexplicável vontade de poder sentir isto doutra maneira: 

Uma saudade a qualquer coisa, 

Uma perturbação de afeições a que vaga pátria? 

A que costa? a que navio? a que cais? 

Que se adoece em nós o pensamento, 

E só fica um grande vácuo dentro de nós, 

Uma oca saciedade de minutos marítimos, 

E uma ansiedade vaga que seria tédio ou dor 

Se soubesse como sê-lo… 
 
 
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:38




Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D


Pesquisar

Pesquisar no Blog